5 de set de 2011

Vivendo uma nova vida a três


1 + 1 = 3. Erro matemático? Não, isso acontece quando nasce um bebê.

Não sei se isso passa ou já passou pela cabeça de vocês mamães, mas eu sempre ficava me perguntando, como seria a vida a dois, depois do nascimento da Clara. Igual, eu tinha certeza ue não seria. Algo mudaria. Mas quem disse que as mudanças são sempre ruins? Às vezes as mudanças, podem ser positivas.

Quando o bebê nasce, toda a dinâmica da relação a dois muda. Até porque, não será mais uma relação a dois. É uma relação a três, a quatro, como é o nosso caso aqui em casa.

Não significa que não seja importante cultivar a relação, ter momentos a sós com o parceiro, ter tempo para reacender a chama, fazer programas românticos e tudo o mais, mas é preciso saber separar e para cada coisa, tem o seu tempo. Quando o bebê nasce, é hora de permitir que todo o resto fique em segundo plano, para que a família possa se redescobrir, ainda mais agora com esse novo ser que chegou ao mundo. O papai tem um papel essencial logo após o nascimento da criança – e entender isso é meio caminho andado para o casamento passar incólume nos primeiros tempos pós-chegada do filho. Os papais  mais participativos compreendem melhor o zelo da mãe e contribuem para que ela não fique estressada. Cabe à mulher aprender a confiar no marido e a dividir as novas responsabilidades. Claro que algumas tarefas, como amamentar, inevitavelmente são da mãe. Mas nada impede que o papai vá buscar a criança no berço quando ela desperta com fome, troque as fraldas, dê banho ou simplesmente cuide dela enquanto a mamãe usufrui de alguns momentos para si.

Por um bom tempo, você e o maridão, vão gastar a maior parte do tempo juntos conversando tudo sobre o bebê: se o choro é de fome, de cólica, de sono, de calor, de frio, qual a melhor fralda a usar, qual o melhor horário para dar o banho e ainda vocês vão ser ver um do lado do outro em silêncio, admirando aquele bebê lindo dormindo. Agora fala a verdade: Tem coisa mais gostosa do que dividir tudo isso com quem a gente escolheu para a vida toda? Eu acredito que não.

Quando se tem um filho, as prioridades mudam, a rotina de vida muda e as necessidades também. E o mais importante é o casal saber lidar com essas mudanças e encontrar um ponto de equilíbrio para readaptar a esse novo ritmo a vida de vocês. Parece fácil, né? Mas não é não. É preciso muita dedicação, amor e vontade de estar junto. Quando passar essa fase, o casal vai descobrir que a relação se fortificou e amadureceu. E o amor, vai crescer ainda mais!

De vez em quando, permitam-se ter um momento a sós, sair para namorar, jantar. Isso será muito importante para a relação e para solidificar ainda mais o amor de casal. Poder se permitir deixar o bebê com a babá ou com alguém da família, vai ser muito prazeroso e ainda irá se permitir se desligar um pouco das obrigações nada fáceis de ser mãe.

Comigo não foi diferente: Quando a Clarinha nasceu, parece mágica, mas a gente se desliga de tudo e passa a ficar focada apenas no bebê. É claro que ficava preocupada com a reação do meu esposo, pois não sabia o que se passava na cabeça dele. Pode não parecer, mas a dedicação que damos aos nossos bebês é tão intensa, que o cansaço toma conta e antes que a gente perceba, já estamos dormindo os sono dos justos, pois logo mais o bebê irá acordar e teremos que estar recarregadas para o próximo "round". Só para ter uma idéia, saímos apenas eu e o maridão no último sábado e deixamos as crianças em casa. Foi bem estranho, pois não conseguia me imaginar sair sem eles, mas ao mesmo tempo foi muito bom, sabia? #queroumrepeteco.

E não é que a vida vai voltando ao normal? Aos poucos, mais vai.

E a retomada do Sexo?

Namorar depois de colocar o bebê na cama é apenas uma das estratégias para preservar a intimidade. Em geral, 40 dias após dar à luz, a mulher já está fisicamente preparada para o recomeço, mas também precisa estar psicologicamente madura para encarar a nova situação. Muitas vezes, em decorrência das mudanças do nosso corpo, não nos sentimos segura o suficiente para encarar o sexo, com medo da reação e da percepção do parceiro. Porém, o mais importante é ter paciência e evitar frases do tipo “estou gorda”, que só reforçam o descontentamento e a insegurança.Se a relação sexual não acontecer nas primeiras tentativas, não se preocupe. O que não pode é perder o hábito de se beijar na boca, se abraçar e trocar carícias. Naturalmente, essas manifestações de afeto voltam a assumir um caráter erótico.



Atitudes que fazem a diferença

É natural que as atenções se voltem para o bebê nos primeiros meses, mas o casal nunca deve deixar de se observar. Pergunte ao outro como ele está passando por essa fase, converse sobre os desafios da nova realidade e também sobre os ganhos dessa grande realização que é ter um filho. Acostume o bebê a dormir no próprio quarto desde os primeiros meses, preservando o espaço do casal. Use uma babá eletrônica para se sentir mais segura. Você e seu marido podem estabelecer algumas pausas na rotina para estar a sós e transformar esses encontros numa espécie de ritual de aproximação. Vale acordar um pouco antes do bebê para tomar café da manhã juntos ou combinar o almoço ou o jantar num horário em que o filho dormiu. Tanto a mulher quanto o marido devem se organizar de modo a manter pelo menos uma atividade voltada exclusivamente para o próprio bem-estar. Pode ser uma aula de academia, um curso de idiomas, um encontro com amigos, tanto faz… É uma pausa para se cuidar e resgatar a individualidade.

Bora?rs :)

Até a próxima!










2 comentários:

Dona Mocinha - Taly Watanabe disse...

PERFEITOOO o post...hiper útil...realmente é uma parte que requer mta administração nossa né?

Adoreei...

E realmente, fazer aniversário La Mama y Familia (adorei a reformulação do nome);;;kkkk...deve dar uma canseira, eu cansei só em pesquisar...é mto detalhe e no dia estamos só o bagaço né?...

E agora para a Clarinha estou na torcida, vai dar tudo certo sim viu?

bjinhuuus

Rosi disse...

Olá Pathy
Vim retribuir a visita e conhecer teu cantinho.
Seu post disse tudo, viramos um trio, e agora fica muito difícil não incluir o bebê nas poucas saídas que fizemos. Mas devemos sempre lembrar que o casal precisa de tempo e dedicação.
Um forte abraço e apareça mais vezes.