13 de set de 2011

Gestação e Hipertensão - Uma combinação nada saudável



Já mencionei em alguns posts antigos, que sofro de hipertensão arterial. Descobri que tinha a danada da pressão alta, na gestação do Cauê, mas precisamente na 16ª semana.

#voltaafita

Desde que me conheço por gente, sintia dores de cabeça fortíssimas, daquelas de querer bater a cabeça na parede, para ver se melhora. Consultei neurologistas e nada. O dignóstico era sempre o mesmo: CEFALÉIA, ENXAQUECA. Tomei remédios fortíssimos e nada de resolver.

#agoradáoplay

Eis que um dia, estava eu no trabalho e comecei a sentir muita dor de cabeça e dores abdominais (minha barriga ficava dura, doía tudo e depois parava). Pedi para o meu chefe, saída e fui parar no hospital. Trabalhava próximo do Aeroporto de Congonhas e fui para o Hospital Sta. Marina. Fui sozinha, estacionei o carro e entrei. Assim que fui atendida, expliquei pro médico os sintomas e tal e o mesmo me examinou. Logo vejo, a cara de espanto.. pensei: " Tá vendo fantasma?"rs. Ele vira pra mim e fala: Mãe, você está com 5 dedos de dilatação. Seu bebê está querendo nascer. Você tomou seu remédio da pressão hoje??? Pressão? Remédio? Como assim??? Fiquei com várias interrogações na cabeça, pois até então, minha gravidez estava normalzinha da silva. Resultado: Fiquei internada por 24 horas, tomando um sono na veia com um remedinho para segurar o bebê, fora os remédios para baixar a pressão arterial. Nem me lembro quanto tava, se eu disser um número aqui, estarei mentindo, mas que estava altíssima, isso tava.

Resumo da ópera: Desde então, descobri que possuo hipertensão arterial crônica e minha gravidez foi considerada de risco. Minha obstetra, Dra. Dilma de Moraes Manoel, acompanhou de pertinho e por dezenas ou centenas de vezes, pegou no meu pé, pois eu saía muito da linha. Tive muita retenção de líquido, engordei 25 Kilos, minha pressão chegou no ápice do perigo e tive que sair de licença 4 semanas antes do Cauê nascer. Graças a Deus, tudo deu certo. Ele nasceu com 3,850Kg e 51cm e 38 semanas.

Com a gravidez da Clara, é claro que a preocupação estava ali no ar desde o meu positivo e a Dra. Dilma, acompanhou mais uma vez minha gravidez e a "pegação" no pé foi geral!!! Não podia engordar muito, fiz um regime daqueles, tomando remédio direto para a pressão não subir. Graças a Deus, a gravidez da Clara foi bem mais tranquila do que a gravidez do Cauê, engordei 11Kg e a Clarinha nasceu super bem com 3,0Kg e 47cm e 36 semanas 5/7. Ah, a Clarinha nasceu apressadinha, não foi pela pressão, mas sim, porque estorou a bolsa antes do tempo...
Brinco com essas histórias da minha vida, mas isso não é brincadeira. Você sabe as consequências da pressão alta na gravidez?

A pressão alta na gravidez, pode trazer sérios problemas tanto para a mamãe, quanto para o bebê. Quando ela é percebida no 3º trimestre da gravidez, é chamada de Pré-eclâmpsia, por isso o acompanhamento da mamãe durante o pre natal é extremamente importante para evitar consequências nada agradáveis.

Os principais sintomas da Pressão alta na gravidez são:

- Dores de Cabeça persistentes;
- Dor forte na barriga, abaixo das costelas;
- Mal estar geral;
- Espuma na Urina;
- Inchaço, principalmente nas pernas e pés e em casos mais graves, o inchaço pode ser percebido nos  membros superiores e face;
- Dores abdominais;
- Vista Embaralhada ou luzes piscando;
- Convulsões em alguns casos mais severos;
- Perda de proteína na urina;

Se tiver qualquer um dos sintomas acima, procure um médico e peça para medir a pressão arterial. A pressão pode subir de repente.

Na tabela abaixo, podemos ver a classificação da pressão arterial:
TABELA 1 - Classificação diagnóstica da hipertensão arterial
(> 18 anos de idade)
Classificação
PRESSÃO ARTERIAL (mmHg)

PAS (mmHg) ou (Sistole)
PAD (mmHg) ou (Diastole)
Ideal
<120 e
<85
Normal
<130 ou
<85
Normal Limítrofe
130-139 ou
85-89
Hipertensão leve (estágio 1)
140-159 ou
90-99
Hipertensão moderada (estágio 2)
160-179 ou
100-109
Hipertensão grave (estágio 3)
> 180 ou
> 110
Sixth Joint National Committee on Prevention, Detection, Evaluation and Treatment of High Blood Pressure

Ao constatar a pressão alta, inicia-se o tratamento a base de muito repouso, medicamentos para controle e dieta com pouco sal, nos casos mais graves em que o quadro pode evoluir para uma eclampsia, oferecendo riscos de vida tanto para mãe quanto para o filho, o médico pode antecipar o parto.

A pressão alta precisa ser controlada, pois pode causar um amadurecimento acelerado da placenta, tendo como consequência redução do seu crescimento e até mesmo descolamento nas fases finais da gravidez, o que pode levar o bebê a morte. Caso você já sofra de pressão alta antes da gravidez, o medicamento deve ser mentido durante todo o período gestacional, de acordo com as orientações do seu obstetra. Esteja atenta ao excessivo aumento de peso, que pode contribuir com o descontrole da pressão.

Normalmente, grávidas de primeira viagem tem mais possibilidades de desenvolverem a pré-eclampsia, visto a alteração celular que ocorre na placenta. Para evitar o problema, é indispensável o acompanhamento de pré-natal, assim como não aumentar o peso mais que o necessário, por isso aliar atividades físicas, ingestão de líquidos e uma alimentação balanceada são fundamentais para uma gravidez saudável.

Se há históricos de hipertensão na família é preciso estar atenta, pois a tendência familiar pode desencadear a pressão alta em você, assim como a diabete gestacional, quando controlada a pressão alta não oferece riscos e não provoca aborto, visto ser uma doença final da gestação, porém é preciso muito atenção e cuidado para que não favoreça um parto prematuro.

A pressão alta pode ser evitada e tratada, basta seguir corretamente o tratamento pré-natal e as orientações do seu médico, esses cuidados ainda são a melhor forma de prevenção contra quaisquer complicações futuras. Normalmente, as mamães com pressão alta, devem passar mais vezes ao médico, do que a quantidade de consultas realizadas em um pré-natal normal, além do acompanhamento em conjunto com um cardiologista.

As consequências da pressão alta no bebê

A Pré-eclâmpsia, não acarreta uma má formação e nem aumento da pressão arterial do bebê, porém pode haver uma dificuldade na circulação sanguínea na placenta, reduzindo a oxigenação fetal, ou seja, o bebê não cresce e não engorda o suficiente. A redução do oxigênio, pode ser observada através de um exame de ultrassom (Ultrassonografia com Doppler) fiz por 3 vezes e baseado nas informações, o obstetra poderá decidir pelo parto prematuro, ou não, o que é muito preocupante, pois quanto menor for o bebê, maiores os riscos de saúde para ele. Essas alterações, também podem levar ao rompimento das artérias da placenta, acarretando um evento muito grave, chamado de descolamento da placenta.


A má notícia é que, mulheres que possuem antecedentes familiares (mãe, avós ou irmãs), que tiveram pré- eclâmpsia, terão maior risco que a população em geral. Isto porque fatores genéticos estão envolvidos. (tadinha da minha bichinha, tomara que ela não passe por isso!)

As consequências para a mamãe

A pressão alta, pode causar sérias lesões em órgãos nobres como rins, fígado e cérebro, mas na maioria das vezes, essas lesões são reversíveis, a não ser que tenham causado dano irreparável como um acidente vascular, por exemplo.

Além disso, se a pré-eclâmpsia evoluir para a eclâmpsia, a pressão arterial sobe demais, colocando mãe e bebê em grande risco. A eclâmpsia pode causar convulsões, que podem levar ao coma e até a morte. Quando acontece, a eclâmpsia ocorre no finalzinho da gravidez ou logo depois do parto.

A única "cura" para a pré-eclâmpsia é o nascimento do bebê, mas a mamãe ficará em observação depois que ele nascer, porque ainda há um risco nos dias seguintes. Depois do parto, a pressão arterial normalmente volta ao normal, mas pode ser que isso leve semanas para acontecer, bem como o inchaço nas mãos e pernas, podem permanecer por algum tempo.

Fontes: Baby Center e Unifesp

Por isso, todo cuidado é pouco. A pressão alta é silenciosa e traiçoeira. Na gravidez do Cauê, eu praticamente não sentia nada, só tive o episódio da 16ª semana. Tive muitos picos na pressão, a ponto de chegar a níveis altíssimos!

Graças a Deus, meus filhotes estão aí lindos e não tive maiores consequências, exceto ter a pressão alta como companheira de aventuras! Tomo remédios contra a hipertensão, tenho que reduzir sempre o peso, ter uma alimentação saudável e longe do sal, além de exames de rotina no cardiologista a cada ano... Fazer o que, né?!rs.

Boa semana a todos!!


Até a próxima!




5 comentários:

Iraci Faria Ramos Silva disse...

Estou querendo engravidar , tenho uma filha de 10 mas infelizmente já perdi 2 mas não sabia que tinha pressão alta . Agora estou querendo de novo apesar do querer estar misturado com o medo não sei qual é o maior . Quando você tinha os picos de hipertensão fazia o que ?

Veronica disse...

Nuss, que história! Desde quando fui ao medico a primeira vez, regularmente, aos 16 anos, minha pressão já era alta. Hoje estou com 28 anos e querendo engravidar. Sou contadora e tenho muitos momentos de stress durante o dia. Minha pressão chega a 15x10, hj pela manha chegou a 17x10. Tenho muito medo de engravidar pois não quero morrer numa mesa de parto e deixar o bebe ou ele morrer tbm. Sou gordinha,mas sempre cuidei da minha alimentação, como frutas, bebo mta agua, gosto até de alimentos integrais... etc. Faço o possível para que minha pressao abaixe. Mas n tem jeito, a tal da minha ansiedade acaba com todos meus desejos, só de ver meu aferidor, meu coração dispara e pronto... PRESSAO ALTISSIMA.

Eu quero ser mãe, mas tenho medo, mto medo msm!

Fabiana Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabiana Silva disse...

Tenho 28 anos, minha 1 gestação foi tranquila hj minha filha tem 4 anos, a pouco tempo; cerca de 6 meses apos a perda de um amigo n recebi a noticia muito bem e xom isso descobri q sou hipertensa meu maior quadro foi 20x16.
Hj sou gestante novamente; de 12 semanas estou tomando duas medicações diárias, uma a cada 6hs e outra a cada 8hs tenho tido vários picos de pressão alterada durante esta gestação o maior quadro foi de 16x10 nada extremo mas já perigoso para o bebe, minha medica Dr luciana e um amor e muito atenciosa tenho tido consultas semanalmente com els e qualquer sinal de perigo entro em contato imediatamente em seu telefone celular, e ja estou de sobre aviso ; se der 14x10 ligar imediatamente. tambem tenho tentado controlado minha alimentação pois amo coisas salgadas e apimentadas , mas agora e focar ... pois o q importa nesse momento e a saude do meu bebê e a minha!!!!

Fabiana Silva disse...

Tenho 28 anos, minha 1 gestação foi tranquila hj minha filha tem 4 anos, a pouco tempo; cerca de 6 meses apos a perda de um amigo n recebi a noticia muito bem e xom isso descobri q sou hipertensa meu maior quadro foi 20x16.
Hj sou gestante novamente; de 12 semanas estou tomando duas medicações diárias, uma a cada 6hs e outra a cada 8hs tenho tido vários picos de pressão alterada durante esta gestação o maior quadro foi de 16x10 nada extremo mas já perigoso para o bebe, minha medica Dr luciana e um amor e muito atenciosa tenho tido consultas semanalmente com els e qualquer sinal de perigo entro em contato imediatamente em seu telefone celular, e ja estou de sobre aviso ; se der 14x10 ligar imediatamente. tambem tenho tentado controlado minha alimentação pois amo coisas salgadas e apimentadas , mas agora e focar ... pois o q importa nesse momento e a saude do meu bebê e a minha!!!!