26 de jul de 2011

FELIZ DIA DA VOVÓ!!!

Estava me arrumando para vir ao trabalho e ouvi que hoje é dia da Vovó e fiquei pensando em tudo o que minha avó pode proporcionar a mim e ao meu irmão nesses anos todos e decidi escrever algo sobre ela.
Lembro-me de quanto fomos paparicados pela minha avó.  Adorávamos dormir lá nas férias, mesmo não morando tão distante assim. Minha avó sempre foi uma cozinheira de mão cheia e sempre fazia coisas muito gostosas para nós entre elas, bolos, tortas, pães caseiros de todos os tipos (roscas, tranças) e ainda aqueles canudinhos recheados com doce de coco, abóbora, doce de leite (tudo diet!)hahaha.
Minha avó sempre fez o papel de vó, aquela que mima os netinhos. Minha mãe por não trabalhar fora, sempre cuidou de mim e do meu irmão. Minha avó além de suas qualidades, também tem seus defeitos como todos nós. Ela foi uma pessoa muito guerreira, sempre trabalhou fora para ajudar no sustento da casa e tentar dar o melhor para minha mãe e meu tio. Minha mãe conta que ela saía para trabalhar e tinha que deixar minha mãe e meu tio em casa sozinhos para um cuidar do outro (naquela época não havia creches ou condições de se pagar uma babá) e os filhos tinham que adquirir mais responsabilidades muito mais cedo. Minha avó se separou do meu avô biológico em 1955 (minha mãe tinha 3 anos e meu tio 2) e alguns anos depois conheceu meu avô adotivo que para mim é meu avô desde sempre. Os dois sempre batalharam muito para construir uma casa e cuidar da minha mãe e do meu tio (meu avô assumiu essa responsabilidade, o que eu acho digno e lindo!).
Os anos se passaram e em Março de 2007, perdemos meu avô. Ele já estava com 95 anos e morreu de falência multipla dos órgãos. Minha avó sentiu muito a sua morte, pois estavam há muitos anos juntos e como minha avó é mais debilitada (possui diabetes, pressão alta, baixa visão em decorrência da diabetes), meu avô era o seu alicerce e cuidava dela e da casa, é claro sempre com a supervisão da minha mãe.
Descobrimos há alguns anos que minha avó sofre de Mal de Alzheimer. Aliás que doença triste, dia a dia temos que nos acostumar com essa doença que vai maltratando e acabando com a pessoa cada dia um pouquinho. Minha avó hoje não reconhece ninguém ou quase ninguém, lembra-se apenas da minha mãe, pois é ela quem cuida da minha avó, mas de mim, meu irmão, minha cunhada, meu filho, meu esposo, ela não se lembra mais. Hoje ela pensa que eu sou a Clara e pra nós é tão triste ver uma situação dessas, né?
Peço a Deus todos os dias que ela tenha um fim de vida mais ameno, mas é bem complicada a situação. Quem sofre mais com tudo isso somos nós os familiares e particularmente minha  mãe, que vê a mãe dela numa situação dessas.

Vamos falar agora da minha mãe, a Vovó Marilda:
Agora falando mais da vovó, vamos falar agora da vovó dos meus filhotes. Dona Marilda é uma pessoa guerreira, brava, determinada e alegre acima de tudo. Quando o Cauê nasceu, eu tive o privilégio de ter o seu apoio para cuidar dele pra mim depois que voltei da licença maternidade e ela o criou até os 4 anos. Já da Clara não pude contar com ela, pois hoje como falei acima, ela se dedica ao cuidado da minha avó em tempoo integral, mas nos periodos em que ela pode ser avó, ela o faz muito bem, diga-se de passagem.

Minha mãe é dessas pessoas que não sei de onde ela tira tanta força para seguir a vida. Em 2007 tivemos perdas irreparáveis em nossas vidas. Falei do meu avô que faleceu em Março de 2007 e em 30/04/2007, perdemos meu pai. Uma morte rápida e que até hoje é difícil digerir e entender o porque. Meu pai descobriu em Abril de 2007 um câncer no estomago, mas já estava em estado avançadíssimo e 2 semanas depois de descobrir, ele veio a falecer. Falo dele com muita saudade, mas isso fica pra depois...
Minha mãe superou essas perdas do jeito dela e a debilidade da minha avó e ainda assim tem tempo de sorrir. Isso sim chamo de pessoa guerreira acima de tudo. Que Deus a abençoe sempre!!!  :)

Termino aqui com algumas fotos da minha avó e também da minha mãe com seus netinhos!!!


FELIZ DIA DA VOVÓ!!!







Nenhum comentário: